O brasileiro nunca viajou tanto pelo Brasil

Excelente notícia que recebemos a pouco em nosso email e estamos compartilhando com vocês:

Pesquisa encomendada pelo Ministério do Turismo revela que 58,9 milhões de pessoas viajaram dentro do país em 2011. Um crescimento de 18,5% em relação a 2007

O número de brasileiros que viajam pelo país nunca foi tão alto. Estudo realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) para o Ministério do Turismo revela que 58,9 milhões de pessoas fizeram pelo menos uma viagem doméstica no último ano. Na edição anterior do levantamento, em 2007, eram 49,7 milhões de viajantes. O crescimento registrado foi de 18,5%, impulsionado pela inclusão do turismo na cesta de consumo da população de baixa renda, faixa que responde pelo maior salto: 21%.

Os dados fazem parte do Estudo da Demanda Turística Doméstica 2012, que pesquisou o perfil das viagens realizadas em 2011 por 39 mil famílias brasileiras. O Estudo revela ainda que o número de viagens domésticas realizadas no Brasil saltou de 161 milhões em 2007 para 191 milhões em 2011. O crescimento na movimentação internacional é ainda mais expressivo. Em 2007, apenas 2,7% das famílias haviam feito viagens internacionais. Na última edição, o percentual subiu para 4,3%, um salto de 57%.

O gasto médio per capita dos brasileiros em viagem cresceu 18%. Em 2007, eram R$ 956,9 por pessoa. Em 2011, o valor médio passou para R$ 1.128,3. O gasto nos deslocamentos a negócios (R$ 985,9) são quase o dobro dos a lazer (R$ 494,4).

“Temos observado que, cada vez mais, o turismo faz parte da vida do brasileiro. É papel do Ministério do Turismo criar um terreno favorável para o setor manter e até acelerar o crescimento. Apostamos no aumento da competitividade dos nossos destinos”, afirmou o ministro do Turismo, Gastão Vieira.

Turismo interno

O lazer ainda aparece como a principal motivação da movimentação interna brasileira, com 81,4%. O meio de locomoção mais usado continua sendo o carro. Para cada 100 pessoas em viagem pelo país, 44 usam o automóvel. O avião, no entanto, responde pelo maior crescimento percentual (50%) desde o último estudo. Atualmente 17% das pessoas usam a ponte aérea para se locomover. Em 2007, esse índice era de 11,3%.

Para cada grupo de 100 viajantes, 64 se hospedam na casa de parentes e amigos. Essa modalidade apresentou um crescimento de 6,5 pontos percentuais, em grande parte justificado pela inclusão das famílias que ganham até quatro salários mínimos no mercado de consumo. Todos os outros meios de hospedagem – resorts, hotéis, pousadas, imóveis alugados ou próprios – registraram queda percentual.

O Estudo da Demanda Turística Doméstica no Brasil 2012 confirma o poder de distribuição de renda do setor. Para cada R$ 1,00 gasto pelos turistas nordestinos no Sudeste, entram R$ 2,95 provenientes dessa região no Nordeste. A principal região emissora de viagens domésticas é a Sudeste (40,8%), seguida de Nordeste (25,8%) e Sul (17,7%).

Motivos

Quando o entrevistado é questionado sobre a principal razão para não viajar pelo Brasil, as restrições orçamentárias aparecem em primeiro lugar. Quarenta e sete entre 100 pessoas ouvidas afirmam que não viajam porque os gastos não cabem no orçamento. Em segundo lugar, com 24,1%, aparece a falta de tempo.

O Estudo de Demanda Turística Doméstica no Brasil é realizado desde 1998, quando nove mil famílias foram entrevistadas. Desde então, a metodologia foi aprimorada e o universo pesquisado ampliado. Esta edição pesquisou o perfil das viagens realizadas em 2011 por 39 mil famílias de 137 localidades diferentes – 27 capitais e outros 110 municípios de todas as regiões brasileiras.

Veja aqui o Estudo da Demanda Turística Doméstica 2012.

Fonte: Ministério do Turismo

Anúncios

SBClass: conheça as estrelas de um hotel fazenda

Por dentro do SBClass: conheça as estrelas de um hotel fazenda

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem é um passo importante para o avanço do turismo nacional. Você sabe que requisitos um hotel deve atender para solicitar as estrelas?

Chegou a hora de arrumar as malas e partir para aquele lugar aconchegante – sem muito barulho, perto da natureza, um verdadeiro convite para o descanso. A categoria Hotel Fazenda é uma das listadas pelo Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass) com condições para solicitar a simbologia de estrelas nos empreendimentos. Localizado no meio rural, dotado de exploração agropecuária e com entretenimento, o meio de hospedagem pode ter de uma a cinco estrelas.

Com uma estrela, o hotel fazenda deve ter serviço de recepção aberto por 12h e acessível durante 24h. Área de estacionamento, restaurante, troca de roupas de cama e banho também são necessários. A cultura do campo está presente: instalações para animais, pomar, horta e flores devem fazer parte da estadia do turista, além de geração de trabalho e renda para a comunidade local. Medidas sustentáveis são requisitos imprescindíveis, como redução do consumo de energia elétrica e de água; gerenciamento de resíduos sólidos, com foco na redução, reuso e reciclagem.

Um empreendimento com duas estrelas deve ter um serviço de alimentação completo, com disponibilidade para café da manhã, almoço e jantar. Pagamento com cartão de crédito ou débito também podem ser cobrados pelo visitante. Com três estrelas, é necessário que o hotel fazenda conte com bar e serviço de guarda dos valores dos hóspedes. Facilidades para bebês – como cadeirinhas e aquecedor de mamadeira e comida – e berço a pedido também são itens obrigatórios. A troca de roupa passa a ser diária.

Quatro estrelas significa manter todos estes requisitos e oferecer um serviço de recepção 24h. Lavanderia e room service são obrigatórios por 12h. Nos quartos, itens devem observados, como televisão e minirrefrigeradores e, nas áreas sociais, acesso à internet. O meio de hospedagem deve contar com piscina, salão de jogos e estrutura esportiva, além de trilhas para caminhas ou observação de pássaros. Pelo menos um dos seguintes entretenimentos deve ser oferecido: cavalgada, passeios de carroça, ciclismo, observação da fauna e flora, participação em colheitas, ordenhas, trato de animais.

Cinco estrelas serão estampadas pelo hotel fazenda que oferecer facilidades como serviço à la carte no restaurante; sala de estar com televisão; espaço para leitura; preparação de comidas especiais (dietas, vegetarianas, etc). As camas devem conter colchões com dimensões superiores ao padrão nacional, e secador de cabelo à disposição. É necessário salão e serviço para eventos, além de instalações para recreação de crianças.

O SBClass

O SBClass é uma parceria do Ministério do Turismo com o Inmetro e autoriza o uso de estrelas para sete tipos de empreendimentos: hotel, hotel fazenda, cama e café, resort, hotel histórico, pousada e flat/apart-hotel. Eles devem atender determinados requisitos para adquirir de uma a cinco estrelas, de acordo com as condições de infraestrutura, equipamentos, serviços oferecidos aos hóspedes e práticas de sustentabilidade. Confira aqui mais informações.

Fonte: Ministério do Turismo

BNDES amplia para R$ 2 bi orçamento do Procopa Turismo

Como trabalhamos com muitos clientes do setor do turismo e hotelaria, compartilhamos essa notícia que recebemos por e-mail da Embratur:

Meios de hospedagem podem protocolar pedidos de financiamento até 30 de junho de 2013

Brasília (DF) – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) dobrou a dotação orçamentária do programa de financiamento destinado à reforma, ampliação e modernização dos hoteis brasileiros. O BNDES Procopa Turismo, linha de crédito articulada pelo Ministério do Turismo junto à instituição financeira federal, passou de R$ 1 bilhão para R$ 2 bilhões, devido à alta procura pelos recursos. O objetivo é apoiar a qualificação da rede hoteleira nacional, que se prepara para atender à demanda turística gerada pela Copa do Mundo da FIFA 2014.

Segundo o diretor do Departamento de Financiamento e Promoção de Investimentos no Turismo do MTur, Hermano Carvalho, “o aumento do crédito sinaliza um boom em investimentos em turismo no Brasil. Ter recursos disponíveis estimula o incremento da oferta turística.” Além de duplicar o valor disponível no programa de financiamento, o prazo limite para apresentar projetos junto ao banco também foi ampliado até 30 de junho de 2013.

De acordo com o banco, a carteira de pedidos de financiamento ao BNDES ProCopa Turismo já superou o valor de R$ 1 bilhão inicialmente disponibilizado. Até o momento, há R$ 347 milhões em operações aprovadas, totalizando onze projetos. Os demais R$ 680,1 milhões são de projetos em fase de análise ou consulta – destes, 62,7% são pleitos para a construção de novos hoteis.

O programa oferece prazos e juros diferenciados para estabelecimentos que adotarem critérios de sustentabilidade, como a certificação de eficiência energética nível “A” do PROCEL Edifica ou a certificação no Sistema de Gestão da Sustentabilidade para Meios de Hospedagem. Mais informações aqui.

Fonte: Ministério do Turismo

Como transformar 50 reais em 8 mil?

Hoje, após um tempo longo sem escrever, “ressuscitamos” o nosso blog com um case de 2009. E por que, após tanto tempo sem escrever, escolhemos esse case que já tem 3 anos (3 anos se tratando de internet é muito tempo).

Antes da massificação da internet como meio de publicidade, poucos empresários tinham a chance de divulgar os seus negócios, já que fazer anúncios em rádio, TV, revistas e jornais, geralmente, não é um invertimento acessível aos pequenos e médios empresários. O que queremos mostrar com o case abaixo, é que a internet é um campo ilimitado para ações e campanhas, sejam elas publicitárias ou não, para quem tem uma verba alta ou não.

A história é a seguinte:

O Albergue Estação Bem-Estar acolhe, cuida e reabilita moradores de rua da zona sul de São Paulo. Eles colocaram um anúncio no site http://www.imovelweb.com.br de uma moradia de rua, como se a mesma estivesse à venda, já que o morador tinha conseguido um local melhor para morar, o albergue em questão. A ideia era impactar as pessoas que estão buscando imóveis para alugar ou comprar e sensibilizá-las a fazerem uma doação ao albergue.

Com apenas R$ 50,00, valor pago pelo anúncio, eles conseguiram com que 921 pessoas fizessem uma doação e arrecadaram cerca de R$ 8.000,00.  Além disso, a ação impressionou o júri de Cannes por ser inusitada e extremamente simples e universal, o que lhes rendeu Leão de Prata num ano em que foram dados apenas 2 Leões para o Brasil, o outro de Bronze.

Assim, quais os itens que fazem com que uma ação tenha sucesso na internet?

– PLANEJAMENTO: qual o público que queremos atingir? Qual o objetivo da ação: vendas, fixação da marca ou relacionamento?

– PRODUÇÃO: elaborar textos, artes, vídeos, enfim, o material necessário para transformar sua ideia em algo acessível ao grande público. Enfim, aqui entra aquele item que diferencia os bons dos excelentes: criatividade!

– PUBLICAÇÃO: disponibilize seu material na internet – portais, blogs, redes sociais, youtube.

– PROMOÇÃO / PROPAGAÇÃO: faça as ações necessárias para pulverizar seu material para o público alvo que você quer atingir. Atualmente, as redes sociais tem feito muito bem esse papel. No caso do albergue, a ação foi publicada em um conhecido portal de imóveis, com um volume considerável de visitas, o que a tornou visível por um grande número de pessoas.

– ANÁLISE / MEDIÇÃO: muita gente se esquece (ou não entende a importância) desse passo. Mas, analisar e medir os resultados com a campanha, durante o andamento da mesma, é fundamental para efetuar alterações necessárias, traçar estratégias para as próximas campanhas e verificar se o resultado da ação foi satisfatório. Atualmente, há inúmeras ferramentas para medir resultados e muitas são gratuitas.

Com esses pequenos cuidados e uma ótima ideia, as chances de sua campanha na internet ser bem sucedida são de quase 100%.

Agora, assistam o case que comentados e inspire-se!

Por Graziella BeHertzog
Diretora Executiva da BSC Comunicação e do Portal Bela Santa Catarina