Financiamentos públicos para o turismo sobem e acumulado em 2012 chega a R$ 7,9 bilhões

Marca supera o registrado em 2011, quando R$ 6 bilhões foram concedidos ao setor

Os financiamentos concedidos pelos bancos públicos para o turismo nacional no acumulado do ano atingiram R$ 7,9 bilhões. O valor supera o registrado no mesmo período do ano passado, quando o setor recebeu R$ 6 bilhões para investimentos em hotéis, agências, operadoras, empresas de transportes, entre outras.

“Os números revelam uma tendência de aumento nas operações de crédito, o que é fundamental para a preparação dos megaeventos que o país sediará nos próximos anos”, afirmou o ministro do Turismo, Gastão Vieira.

De janeiro a setembro de 2012, a Caixa Econômica Federal foi responsável por 54,8% das operações de crédito contratadas, com R$ 4,3 bilhões, seguida do Banco do Brasil, que financiou 1,9 bilhão para o setor (24,7%). Os demais recursos foram financiados pelo BNDES, Banco do Nordeste e Banco da Amazônia.

Comparando somente o mês de setembro, os empréstimos dos bancos oficiais atingiram R$ 900 milhões, número 51% maior que o registrado no mesmo mês de 2011.

Fonte: Ministério do Turismo

Anúncios

O maior salão náutico da Europa quer vir para o Brasil

Notícia bacana que recebemos do Ministério do Turismo:

O maior salão náutico da Europa quer vir para o Brasil

Grand Pavois, realizado tradicionalmente na França, pode ter uma edição no país. A organização do evento encontrou-se hoje com o ministro do Turismo, Gastão Vieira

Os responsáveis pelo maior salão náutico da Europa demonstraram interesse em promover uma edição no Brasil. O diretor geral da Associação Grand Pavois, Christophe Vieux, reuniu-se hoje (27) com o ministro do Turismo, Gastão Vieira, e o secretário Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Fábio Mota, para pedir apoio. Em 2012, o evento reuniu 100 mil visitantes, 850 expositores de 38 países e 250 jornalistas internacionais.

Tradicionalmente realizada em La Rochelle, na França, o Grand Pavois está na 40ª edição. “A ideia é despertar o interesse da população pela cultura náutica. A programação é extensa, vai muito além da exposição de barcos e ajuda a movimentar o turismo”, explicou Christopher Vieux.

A movimentação para atrair o Grand Pavois para o Brasil começou em setembro, quando Fabio Mota esteve no salão e encontrou-se com empresários em busca de investimentos para o país. “Promovemos reuniões técnicas com representantes de grandes estaleiros para mostrar as oportunidades do nosso mercado”, explicou. Como desdobramento da ação, uma comitiva de investidores desembarcou no Brasil para avaliar o patamar de desenvolvimento do país neste tipo de turismo.

“Com a crise europeia, estamos em busca de novas alternativas e o Brasil tem excelentes condições para receber o Grand Pavois”, afirmou Christophe. Entre as cidades cogitadas para receber o evento destacam-se Recife (PE) e Itajaí (SC). O empresário francês vai marcar, nos próximos meses, encontros com representantes dos dois locais para dar andamento ao processo.

Na única edição realizada fora de La Rochelle, a China sediou o evento. Para o ministro Gastão Vieira, o interesse em promover o evento no Brasil mostra o vigor econômico do país. “Temos que aproveitar para mostrar ao mundo o que temos de melhor, nossas oportunidades de investimentos. Dessa forma, vamos aumentar, ainda mais, a geração de emprego e renda”, afirmou Vieira.

Fonte: Ministério do Turismo

O brasileiro nunca viajou tanto pelo Brasil

Excelente notícia que recebemos a pouco em nosso email e estamos compartilhando com vocês:

Pesquisa encomendada pelo Ministério do Turismo revela que 58,9 milhões de pessoas viajaram dentro do país em 2011. Um crescimento de 18,5% em relação a 2007

O número de brasileiros que viajam pelo país nunca foi tão alto. Estudo realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) para o Ministério do Turismo revela que 58,9 milhões de pessoas fizeram pelo menos uma viagem doméstica no último ano. Na edição anterior do levantamento, em 2007, eram 49,7 milhões de viajantes. O crescimento registrado foi de 18,5%, impulsionado pela inclusão do turismo na cesta de consumo da população de baixa renda, faixa que responde pelo maior salto: 21%.

Os dados fazem parte do Estudo da Demanda Turística Doméstica 2012, que pesquisou o perfil das viagens realizadas em 2011 por 39 mil famílias brasileiras. O Estudo revela ainda que o número de viagens domésticas realizadas no Brasil saltou de 161 milhões em 2007 para 191 milhões em 2011. O crescimento na movimentação internacional é ainda mais expressivo. Em 2007, apenas 2,7% das famílias haviam feito viagens internacionais. Na última edição, o percentual subiu para 4,3%, um salto de 57%.

O gasto médio per capita dos brasileiros em viagem cresceu 18%. Em 2007, eram R$ 956,9 por pessoa. Em 2011, o valor médio passou para R$ 1.128,3. O gasto nos deslocamentos a negócios (R$ 985,9) são quase o dobro dos a lazer (R$ 494,4).

“Temos observado que, cada vez mais, o turismo faz parte da vida do brasileiro. É papel do Ministério do Turismo criar um terreno favorável para o setor manter e até acelerar o crescimento. Apostamos no aumento da competitividade dos nossos destinos”, afirmou o ministro do Turismo, Gastão Vieira.

Turismo interno

O lazer ainda aparece como a principal motivação da movimentação interna brasileira, com 81,4%. O meio de locomoção mais usado continua sendo o carro. Para cada 100 pessoas em viagem pelo país, 44 usam o automóvel. O avião, no entanto, responde pelo maior crescimento percentual (50%) desde o último estudo. Atualmente 17% das pessoas usam a ponte aérea para se locomover. Em 2007, esse índice era de 11,3%.

Para cada grupo de 100 viajantes, 64 se hospedam na casa de parentes e amigos. Essa modalidade apresentou um crescimento de 6,5 pontos percentuais, em grande parte justificado pela inclusão das famílias que ganham até quatro salários mínimos no mercado de consumo. Todos os outros meios de hospedagem – resorts, hotéis, pousadas, imóveis alugados ou próprios – registraram queda percentual.

O Estudo da Demanda Turística Doméstica no Brasil 2012 confirma o poder de distribuição de renda do setor. Para cada R$ 1,00 gasto pelos turistas nordestinos no Sudeste, entram R$ 2,95 provenientes dessa região no Nordeste. A principal região emissora de viagens domésticas é a Sudeste (40,8%), seguida de Nordeste (25,8%) e Sul (17,7%).

Motivos

Quando o entrevistado é questionado sobre a principal razão para não viajar pelo Brasil, as restrições orçamentárias aparecem em primeiro lugar. Quarenta e sete entre 100 pessoas ouvidas afirmam que não viajam porque os gastos não cabem no orçamento. Em segundo lugar, com 24,1%, aparece a falta de tempo.

O Estudo de Demanda Turística Doméstica no Brasil é realizado desde 1998, quando nove mil famílias foram entrevistadas. Desde então, a metodologia foi aprimorada e o universo pesquisado ampliado. Esta edição pesquisou o perfil das viagens realizadas em 2011 por 39 mil famílias de 137 localidades diferentes – 27 capitais e outros 110 municípios de todas as regiões brasileiras.

Veja aqui o Estudo da Demanda Turística Doméstica 2012.

Fonte: Ministério do Turismo

SBClass: conheça as estrelas de um hotel fazenda

Por dentro do SBClass: conheça as estrelas de um hotel fazenda

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem é um passo importante para o avanço do turismo nacional. Você sabe que requisitos um hotel deve atender para solicitar as estrelas?

Chegou a hora de arrumar as malas e partir para aquele lugar aconchegante – sem muito barulho, perto da natureza, um verdadeiro convite para o descanso. A categoria Hotel Fazenda é uma das listadas pelo Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass) com condições para solicitar a simbologia de estrelas nos empreendimentos. Localizado no meio rural, dotado de exploração agropecuária e com entretenimento, o meio de hospedagem pode ter de uma a cinco estrelas.

Com uma estrela, o hotel fazenda deve ter serviço de recepção aberto por 12h e acessível durante 24h. Área de estacionamento, restaurante, troca de roupas de cama e banho também são necessários. A cultura do campo está presente: instalações para animais, pomar, horta e flores devem fazer parte da estadia do turista, além de geração de trabalho e renda para a comunidade local. Medidas sustentáveis são requisitos imprescindíveis, como redução do consumo de energia elétrica e de água; gerenciamento de resíduos sólidos, com foco na redução, reuso e reciclagem.

Um empreendimento com duas estrelas deve ter um serviço de alimentação completo, com disponibilidade para café da manhã, almoço e jantar. Pagamento com cartão de crédito ou débito também podem ser cobrados pelo visitante. Com três estrelas, é necessário que o hotel fazenda conte com bar e serviço de guarda dos valores dos hóspedes. Facilidades para bebês – como cadeirinhas e aquecedor de mamadeira e comida – e berço a pedido também são itens obrigatórios. A troca de roupa passa a ser diária.

Quatro estrelas significa manter todos estes requisitos e oferecer um serviço de recepção 24h. Lavanderia e room service são obrigatórios por 12h. Nos quartos, itens devem observados, como televisão e minirrefrigeradores e, nas áreas sociais, acesso à internet. O meio de hospedagem deve contar com piscina, salão de jogos e estrutura esportiva, além de trilhas para caminhas ou observação de pássaros. Pelo menos um dos seguintes entretenimentos deve ser oferecido: cavalgada, passeios de carroça, ciclismo, observação da fauna e flora, participação em colheitas, ordenhas, trato de animais.

Cinco estrelas serão estampadas pelo hotel fazenda que oferecer facilidades como serviço à la carte no restaurante; sala de estar com televisão; espaço para leitura; preparação de comidas especiais (dietas, vegetarianas, etc). As camas devem conter colchões com dimensões superiores ao padrão nacional, e secador de cabelo à disposição. É necessário salão e serviço para eventos, além de instalações para recreação de crianças.

O SBClass

O SBClass é uma parceria do Ministério do Turismo com o Inmetro e autoriza o uso de estrelas para sete tipos de empreendimentos: hotel, hotel fazenda, cama e café, resort, hotel histórico, pousada e flat/apart-hotel. Eles devem atender determinados requisitos para adquirir de uma a cinco estrelas, de acordo com as condições de infraestrutura, equipamentos, serviços oferecidos aos hóspedes e práticas de sustentabilidade. Confira aqui mais informações.

Fonte: Ministério do Turismo

BNDES amplia para R$ 2 bi orçamento do Procopa Turismo

Como trabalhamos com muitos clientes do setor do turismo e hotelaria, compartilhamos essa notícia que recebemos por e-mail da Embratur:

Meios de hospedagem podem protocolar pedidos de financiamento até 30 de junho de 2013

Brasília (DF) – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) dobrou a dotação orçamentária do programa de financiamento destinado à reforma, ampliação e modernização dos hoteis brasileiros. O BNDES Procopa Turismo, linha de crédito articulada pelo Ministério do Turismo junto à instituição financeira federal, passou de R$ 1 bilhão para R$ 2 bilhões, devido à alta procura pelos recursos. O objetivo é apoiar a qualificação da rede hoteleira nacional, que se prepara para atender à demanda turística gerada pela Copa do Mundo da FIFA 2014.

Segundo o diretor do Departamento de Financiamento e Promoção de Investimentos no Turismo do MTur, Hermano Carvalho, “o aumento do crédito sinaliza um boom em investimentos em turismo no Brasil. Ter recursos disponíveis estimula o incremento da oferta turística.” Além de duplicar o valor disponível no programa de financiamento, o prazo limite para apresentar projetos junto ao banco também foi ampliado até 30 de junho de 2013.

De acordo com o banco, a carteira de pedidos de financiamento ao BNDES ProCopa Turismo já superou o valor de R$ 1 bilhão inicialmente disponibilizado. Até o momento, há R$ 347 milhões em operações aprovadas, totalizando onze projetos. Os demais R$ 680,1 milhões são de projetos em fase de análise ou consulta – destes, 62,7% são pleitos para a construção de novos hoteis.

O programa oferece prazos e juros diferenciados para estabelecimentos que adotarem critérios de sustentabilidade, como a certificação de eficiência energética nível “A” do PROCEL Edifica ou a certificação no Sistema de Gestão da Sustentabilidade para Meios de Hospedagem. Mais informações aqui.

Fonte: Ministério do Turismo

Embratur lança app no Facebook para promover Brasil no exterior

Por Daniel Gonzales

Exclusivo: a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) lança nesta quarta-feira (1.º de agosto) um app no Facebook voltado para estrangeiros, com a intenção de promover o turismo no Brasil no exterior. O aplicativo, chamado O mundo se encontra no Brasil. Venha celebrar a vida, poderá ser acessado via computador ou em navegadores de smartphones e tablets.

App no Facebook propõe a amigos se encontrarem no Brasil

App no Facebook propõe a amigos se encontrarem no Brasil

O app faz parte da campanha lançada pela presidente Dilma Rousseff na semana passada, em Londres, focada em incentivar o turismo no País, usando como chamariz os grandes eventos esportivos que o Brasil sediará nos próximos quatro anos: a Copa do Mundo da FIFA 2014 e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016.

Quem tem perfil na rede social, brasileiros ou não, poderá identificar seus amigos mais distantes geograficamente e, a partir daí, propor que todos se encontrem no Brasil.

App online traz vídeos de capitais e atrações turísticas brasileiras

App online traz vídeos de capitais e atrações turísticas brasileiras

Quando o estrangeiro clicar em ‘convidar’, será criado um álbum na timeline com imagens das distâncias entre cada amigo encontrado, que será marcado e alertado; estes, por sua vez, também poderão encontrar seus amigos distantes e convidá-los a conhecer o Brasil.

A nova campanha da Embratur irá investir R$ 50 milhões até o fim de 2014, com a expectativa de alcance de 1,2 bilhão de pessoas, diz o diretor de Marketing da Embratur, Walter Vasconcelos.

CIDADES DA COPA

Em março, a Embratur já havia disponibilizado para os sistemas operacionais móveis iOS e Android um jogo interessante e gratuito, o Brasil Quest. Pegue a versão para iOS aqui e para Android aqui.

No jogo, o simpático alienígena Yep – que estava triste com a vida em seu planeta de origem, junto com os amigos Stu e Bozzi – vem ao Brasil e visita as 12 cidades que serão sedes da Copa do Mundo de 2014.

Seu objetivo é guiar Yep pelos principais pontos turísticos das cidades brasileiras, que ele não conhece, fugindo dos obstáculos e capturando bolinhas. Com elas, dá para comprar souvenires das capitais. As lembranças vão sendo guardadas em uma caixa, o Souvenir Box.

Muito bem feito, o game tem gráficos caprichados e chega ao refinamento de ter uma trilha sonora para cada cidade.

Fonte: Estadão.com.br

Hotel George V, da rede Four Seasons, inaugura na Champs-Elysées a mais luxuosa

Por Hugo CILO, de Paris

Paris é a capital mundial do luxo. Nenhuma outra cidade, na opinião de dez em cada dez visitantes, consegue inspirar romantismo e sofisticação, ao mesmo tempo, com tanta propriedade. Para muitos, a elegante metrópole francesa significa vinho, queijos e pães. Para outros, arte, música, compras e alta gastronomia. Seja qual for a sensação e a experiência de cada um, a Paris das emoções, dos cheiros e dos sabores proporciona também as mais belas vistas urbanas do planeta. A partir desta semana, quem visitar a Cidade Luz terá mais um ângulo para contemplar, do topo do hotel do Four Seasons Hotel George V.

Cidade luz: um dos seis terraços da nova suíte do hotel George V, considerada uma obra-prima da hotelaria de luxo.

A grife hoteleira inaugura sua suíte com a promessa de ser o mais charmoso quarto parisiense – e, é claro, o mais caro: € 19,5 mil a diária, acima do cobrado nos clássicos Plaza Athénée, Hitz e Crillon. Mas não é o preço que mais impressiona. A suíte de 170 m2, no oitavo andar do prédio da avenida George V, quase na esquina com a avenida Champs-Elysées, oferece uma vista panorâmica de toda a Paris. Concebida como um apartamento com seis terraços, a mais nova suíte do hotel – que é inaugurada após 18 meses de obra – é um verdadeiro refúgio romântico, planejado para que os hóspedes fiquem em um dos mais belos palácios de Paris.

Ao entrar na penthouse, a sensação de paz criada pela combinação leve de cores toma conta do ambiente. Os tons suaves do piso em mármore travertino estão em perfeita sintonia com os revestimentos em madeira e tecido, e com o jardim criado por Jeff Leatham, diretor artístico do Four Seasons. As flores, aliás, são a marca registrada do hotel. A iluminação é gerada por um sistema que pode ser ajustado dependendo da hora do dia: com um simples toque no controle remoto é possível mudar a intensidade da luz, seja para sentar e ler um bom livro ou para tomar um drinque em uma taça de cristal Baccarat.

Decoração exclusiva: o banheiro em mármore, com área de cromoterapia, é enfeitado com orquídeas brancas, o DNA do hotel.

Separado da sala de estar por uma porta forjada em aço, um cômodo anexo oferece um santuá­rio de suntuosidade, de onde é possível desfrutar diferentes vistas da cidade. As paredes são cobertas de tecido floral e o piso é recortado por um mosaico de três diferentes tipos de mármore. Duas poltronas Knoll brancas estão dispostas junto a uma mesa Segundo Império. “O objetivo é redefinir a ideia de uma suíte de hotel, criando um refinado e convidativo apartamento”, diz o vice-presidente do Four Seasons e gerente-geral do George V, Christopher Norton. O criador da suíte é Pierre Yves Rochon, o renomado designer de interiores que decorou alguns dos grandes palácios do mundo.

Famoso por seus detalhes artesanais, o decorador trabalha com algumas das mais badaladas marcas de luxo como Baccarat, Lalique, Lelièvre, Edmond Petit, Veraseta e Bobic (companhia eslovena especializada em iates) para criar cenários especiais. “Para este projeto, que se assemelha a um trabalho de alta-costura, Rochon teve total liberdade criativa para projetar um espaço único e infinitamente sofisticado, onde os limites entre o interior e o exterior não são rigorosamente definidos”, afirma Norton. O quarto é outro recanto de tranquilidade: carpetes em lã, paredes cobertas com seda dourada e uma cama com dossel. Uma porta deslizante o separa de um banheiro de mármore, desenhado para ser luxuoso como um lounge.

La vie en rose: o luxuoso quarto com carpetes de lã e paredes em seda se harmozinam com o sofisticado restaurante do chef Eric Briffard, um dos mais famosos da França.

Ao lado do chuveiro fica uma banheira com sistemas de hidromassagem e cromoterapia. Elegantes orquídeas brancas fazem a transposição entre o interior e o exterior, dando a impressão de que o terraço se estende até o banheiro. Decorado com delicados vasos em topiaria, o terraço principal – um entre os seis da suíte – proporciona uma vista que faz com que o hóspede mergulhe em um mundo de sensações. De um lado, é possível admirar a Catedral Americana, à direita a Torre Eiffel, mais à frente os telhados dos Invalides, enquanto à esquerda estão a Madeleine, a Opera e o Pantheon. Dali, alguns degraus levam a um terraço íntimo ainda mais elevado, de onde é possível ter uma visão direta da Torre Eiffel.

“Esta suíte do George V representa um salto na hotelaria de luxo de Paris, que durante muito tempo ofereceu aos turistas o velho como antigo, o desconforto como o autêntico, o desestruturado como o clássico”, diz o francês Mark Gardiner Lodier, consultor em hotelaria de luxo. O restaurante do George V é uma extensão do luxo e sofisticação da suíte do oitavo andar. Comandado pelo chef Eric Briffard e pelo sommelier Thierry Hamon, dois dos mais renomados especialistas na culinária francesa, o local é ponto de encontro de nobres, xeiques árabes e milionários do mundo todo em busca do que há de melhor – e mais surpreendente – na alta gastronomia parisiense. Se você estiver disposto a pagar por tanto luxo e sofisticação, esse pode ser também o seu novo ponto de encontro.

Fonte: Isto É Dinheiro