Como transformar 50 reais em 8 mil?

Hoje, após um tempo longo sem escrever, “ressuscitamos” o nosso blog com um case de 2009. E por que, após tanto tempo sem escrever, escolhemos esse case que já tem 3 anos (3 anos se tratando de internet é muito tempo).

Antes da massificação da internet como meio de publicidade, poucos empresários tinham a chance de divulgar os seus negócios, já que fazer anúncios em rádio, TV, revistas e jornais, geralmente, não é um invertimento acessível aos pequenos e médios empresários. O que queremos mostrar com o case abaixo, é que a internet é um campo ilimitado para ações e campanhas, sejam elas publicitárias ou não, para quem tem uma verba alta ou não.

A história é a seguinte:

O Albergue Estação Bem-Estar acolhe, cuida e reabilita moradores de rua da zona sul de São Paulo. Eles colocaram um anúncio no site http://www.imovelweb.com.br de uma moradia de rua, como se a mesma estivesse à venda, já que o morador tinha conseguido um local melhor para morar, o albergue em questão. A ideia era impactar as pessoas que estão buscando imóveis para alugar ou comprar e sensibilizá-las a fazerem uma doação ao albergue.

Com apenas R$ 50,00, valor pago pelo anúncio, eles conseguiram com que 921 pessoas fizessem uma doação e arrecadaram cerca de R$ 8.000,00.  Além disso, a ação impressionou o júri de Cannes por ser inusitada e extremamente simples e universal, o que lhes rendeu Leão de Prata num ano em que foram dados apenas 2 Leões para o Brasil, o outro de Bronze.

Assim, quais os itens que fazem com que uma ação tenha sucesso na internet?

– PLANEJAMENTO: qual o público que queremos atingir? Qual o objetivo da ação: vendas, fixação da marca ou relacionamento?

– PRODUÇÃO: elaborar textos, artes, vídeos, enfim, o material necessário para transformar sua ideia em algo acessível ao grande público. Enfim, aqui entra aquele item que diferencia os bons dos excelentes: criatividade!

– PUBLICAÇÃO: disponibilize seu material na internet – portais, blogs, redes sociais, youtube.

– PROMOÇÃO / PROPAGAÇÃO: faça as ações necessárias para pulverizar seu material para o público alvo que você quer atingir. Atualmente, as redes sociais tem feito muito bem esse papel. No caso do albergue, a ação foi publicada em um conhecido portal de imóveis, com um volume considerável de visitas, o que a tornou visível por um grande número de pessoas.

– ANÁLISE / MEDIÇÃO: muita gente se esquece (ou não entende a importância) desse passo. Mas, analisar e medir os resultados com a campanha, durante o andamento da mesma, é fundamental para efetuar alterações necessárias, traçar estratégias para as próximas campanhas e verificar se o resultado da ação foi satisfatório. Atualmente, há inúmeras ferramentas para medir resultados e muitas são gratuitas.

Com esses pequenos cuidados e uma ótima ideia, as chances de sua campanha na internet ser bem sucedida são de quase 100%.

Agora, assistam o case que comentados e inspire-se!

Por Graziella BeHertzog
Diretora Executiva da BSC Comunicação e do Portal Bela Santa Catarina

Anúncios

Como mudar o mundo? O poder está em nossas maõs!

A estudante escocesa Martha Payne (Foto: BBC)

A estudante escocesa Martha Payne (Foto: BBC)

Muito interessante a notícia que está circulando hoje pela internet: Martha Payne, uma menina escocesa de 9 anos,  fotografava seu lanche na escola e postava as fotos diariamente seu blog “Never Seconds” (adaptando para o contexto em portugês: nunca repetir o mesmo prato). Em suas notas e comentários, Martha avaliava desde a aparência e quantidade de garfadas a até se havia fios de cabelos na comida.

O resultado dessa  ação da garota foi um tremendo sucesso: mais de 1 milhão de acessos em seu blog, um tweet de apoio do super star da cozinha, o chef Jamie Oliver, além do fato mais interessante: o conselho municipal de Argyll, na Escócia, se pronunciou sobre o assunto e acabou fazendo uma visita à escola, que teve que realizar mudanças em seu cardápio. Segundo o pai da garota, Dave Payne, a comida melhorou temporariamente.

Após o sucesso da ação, pai e filha foram convidados para um encontro realizado pelo chef escocês Nick Nairn, autor de diversos livros e apresentador de programas de TV, que também terá políticos e ativistas da alimentação saudável em escolas.

Se você quer saber mais detalhes sobre o caso, leia a matéria na íntegra no G1 em Blog de menina com críticas à merenda faz escola mudar cardápio

O que chama a atenção nessa notícia é fato de que a internet pode ser uma ferramenta muito útil para realizarmos grandes mudanças em nossos bairros, nossas escolas, nossa cidade e, quem sabe, até em nosso planeta.  A internet coloca em nossas mãos o mundo inteiro. É o poder da comunicação instantânea, da troca de informações, conhecimentos e culturas, jamais antes visto. Então, vamos refletir um pouco: o que podemos fazer pela nossa rua, pela nossa cidade, pelo nosso negócio?

Quatro em cada 10 empresas brasileiras ainda não estão na web

Resultado faz parte da pesquisa TIC Empresas 2011 divulgada pelo CGI.br, realizada com 5,6 mil empresas no Brasil

Quatro em cada dez empresas com dez ou mais funcionários no Brasil ainda não estão na internet. O resultado é um dos obtidos pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) em sua 7ª pesquisa TIC Empresas 2011, conduzida pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br). Os registros foram obtidos a partir de entrevistas com 5,6 mil empresas com dez ou mais funcionários no Brasil.

De acordo com a pesquisa, 60% das empresas possuem um site ou uma simples página na Internet e quase a totalidade dessas companhias (93%) os utiliza para oferecer informações institucionais. Os recursos menos comuns nesses sites são “sistema de pedidos ou reserva/carrinho de compras” (17%) e “pagamento online/completar transação” (12%), o que sugere a existência de um menor percentual de empresas que ofereçam condições para seus clientes finalizarem pedidos de compra de produtos e serviços online.

Praticamente todas as empresas com dez ou mais funcionários possuem computadores e acesso à Internet (99% e 98% respectivamente). Além disso, aumentaram em índices como a posse de rede LAN com fio e sem fio, que alcançaram, respectivamente, 88% e 68% das empresas. “O cenário econômico brasileiro favorável parece ter contribuído para o crescimento regular da infraestrutura tecnológica das empresas brasileiras”, diz Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br.

A pesquisa revela ainda que o índice de proporção de empresas cujos funcionários têm acesso remoto ao sistema de computadores chegou a 46%.

Impactos de softwares
As atividades que utilizam Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), desde 2005, mais realizadas nas empresas analisadas são “enviar e receber e-mails” (99% delas declararam ter realizado essa atividade em 2011), “buscar informações sobre produtos ou serviços” (92%), e “outras buscas de informação e atividades de pesquisa” (84%).

Estagnadas seguem outras, em menor proporção, como monitoramento de mercado (59%), uso de mensagens instantâneas (55%), recrutamento de pessoas (39%). Por fim, o uso de telefone (VoIP) e a vídeo conferência via Internet (24%) e a entrega de produtos online (13%), são realizadas por um pequeno grupo de empresas.

“De acordo com o Information Economy Report 2010, da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad), as TICs podem dar origem a atividades que não existiam anteriormente, envolvendo a produção de novos bens ou serviços. Além disso, podem alterar a maneira como as atividades existentes são realizadas, levando a um aumento de receitas, redução de custos, melhora da qualidade e maior agilidade”, ressalta Alexandre Barbosa.

A partir dessa edição da pesquisa, o Cetic.br passou a investigar a introdução e os impactos que softwares novos ou aperfeiçoados trouxeram para as empresas brasileiras. “Apesar de ser a primeira coleta, os resultados encontrados indicam que esse uso tem importante papel para melhorar e tornar mais eficientes os processos empresariais”, afirma Alexandre.

Cerca de um terço das empresas brasileiras introduziu softwares novos ou que passaram por um aperfeiçoamento significativo em sua rotina. Dentre os principais motivos mencionados, o mais citado foi “melhoria de processos e procedimentos internos” (44%). Devido à própria complexidade das empresas médias e grandes, elas foram as que mais adotaram essa prática: essa proporção sobe para 49% e 50%, respectivamente.

O segundo motivo mais citado foi “ganho de produtividade e eficiência” (22%), em terceiro, o “objetivo de atender a demandas de clientes e fornecedores”, com 12%, e em seguida, com 11%, “a introdução se deu devido ao fato do software já ser integrado ao produto da empresa”. “Diferenciação e adaptação à concorrência” foi o principal motivo da introdução do software novo para apenas 8% das empresas e “viabilização de novas atividades e tarefas” para 7% delas. Todos os resultados da pesquisa TIC Empresas estão disponíveis em http://www.cetic.br/.

Fonte: IdgNow!

Dia Mundial da Internet defende a inclusão digital de jovens mulheres

União Internacional de Telecomunicações celebra dia nesta quinta (17).
Organização encoraja mulheres a buscarem carreiras em tecnologia.

Do G1, em São Paulo

O Dia Mundial da Internet, comemorado nesta quinta-feira (17), tem como tema de 2012 a inclusão de mulheres e meninas ao setor de tecnologias de informação e comunicação (TIC). Segundo a União Internacional de Telecomunicações (ITU na sigla em inglês), as mulheres foram escolhidas como assunto deste ano para aumentar as oportunidades digitais para elas e para encorajar que jovens busquem carreiras no setor.

Todos os anos, o Dia Mundial da Internet é celebrado em 17 de maio e marca o aniversário de assinatura da primeira Convenção Internacional do Telégrafo, em 1865, que levou à criação da União Internacional de Telecomunicações.

“Tecnologias de informação e comunicação, incluindo a internet, são os canais de conhecimento que ajudam a capacitar as pessoas para que elas encontrem seus objetivos e aspirações”, explica a ITU em nota enviada ao G1.

No Afeganistão, um cibercafé foi criado apenas para receber mulheres (Foto: Mohammad Ismail/Reuters)

“É por isso que a ITU defende a implantação rápida da banda larga, para permitir que pessoas em todos os lugares possam se conectar às estradas da informação e do conhecimento e para acabar com a exclusão digital”, continua o comunicado.

A organização pede, neste Dia Mundial da Internet, que oportunidades digitais sejam dadas às mulheres e meninas para que elas possam construir suas capacidades de acessar à TIC. “Também defendemos que elas adotem seus lugares como tomadoras de opinião na sociedade, especialmente dentro do setor de TI”, completa a nota.

O secretário-geral da ITU, Hamadoun Touré, reafirmou que a igualdade é um direito humano fundamental. “Meninas e mulheres jovens com competências em TIC irão encontrar empregos que oferecem criatividade, inovação e formas completamente novas de se trabalhar. Incentivar essas jovens ao setor de tecnologia vai criar modelos inspiradores para as próximas gerações”.

Dados brasileiros

No Brasil, conforme a pesquisa TIC Domicílios de 2010, divulgada pelo Comitê Gestor da Internet (CGI.br), a diferença de acesso à internet entre os homens e as mulheres não é muito grande.

Entre os homens entrevistados pelo instituto, 41% declararam ter acessado a rede nos últimos seis meses. Entre as mulheres, o número é de 40%, o que pode ser considerado um empate, conforme Juliano Cappi, gerente de pesquisas do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br).

Sobre a frequência de uso da internet, a diferença é maior, segundo Cappi, o que mostra que os homens acessam mais a web que as mulheres. Entre os homens que usam internet no país, 63% declararam acessá-la diariamente, número maior que a média do Brasil (60%). Entre as mulheres, 56% delas responderam usar a web todos os dias.

Fonte: G1

Internet é essencial para 82% das pessoas, diz estudo

Segundo Fábio Coelho, presidente do Google no Brasil, rede é preferencialmente usada pelos jovens

Rafael Ferrer, de info

São Paulo – Uma pesquisa apresentada nesta quinta-feira (10) mostra que 82% dos brasileiros com acesso a internet consideram a web uma ferramenta indispensável e essencial para a sobrevivência. Destes, 85% são mulheres e 79% são homens.

Segundo Fábio Coelho, que apresentou o estudo e é presidente do Google no Brasil e da rede de associações Interactive Advertising Bureau (IAB), a internet é preferencialmente usada pelos jovens, mas que o uso da web é feito por pessoas de todas as idades, classes e regiões, além de ser a atividade preferida para entreter.

“Este é considerado o meio de comunicação mais importante pelos entrevistados. As pessoas incorporam a internet no dia a dia. Muitos jovens nem conseguem avaliar o nível de importância das ferramentas online porque a web faz parte da rotina diária dessas pessoas”, comenta.

Ainda de acordo com o estudo, há mais de 80 milhões de pessoas conectadas no país. Esta estatística contabiliza os acessos fixo e móvel por meio de dispositivos como consoles de videogames, smartphones, tablets, notebooks, desktops e outros aparelhos.

O objetivo deste estudo é analisar os hábitos dos internautas brasileiros e apurar a relação destes usuários com a publicidade digital. Mais de 2.075 pessoas de todo o Brasil participaram da pesquisa, feita pela IBA em parceria com a empresa de pesquisas de mercado comScore. Os entrevistados enviaram as respostas por e-mail em fevereiro deste ano e possuem idade entre 15 e mais de 55 anos (51% são homens e 49% são mulheres).

Segundo Coelho, 36% das pessoas navegam diariamente na internet durante aproximadamente 2h. Outros 42% dos internautas passam mais de 2h online todos os dias. “A web é a principal mídia usada para gerar relacionamento entre as pessoas. O brasileiro é muito conectado e gosta de se relacionar”, diz o presidente. Ainda na mesma pesquisa, 25% dos participantes afirmam que passam o tempo livre assistindo a TV.

Perguntados sobre qual o passatempo preferido quando há 15 minutos de tempo livre, 62% dos entrevistados responderam que gostam de navegar na internet, principalmente para acessar sites de vídeos e redes sociais.

Além disso, a penetração da web nas faixas etárias da população de mais idade é cada vez maior, de acordo com Coelho. “Navegar na internet é um hábito crescente entre as pessoas com mais de 50 anos. Antes, eles acessavam basicamente serviços de e-mail e agora estão em outros serviços, como as redes sociais”, diz.

Ainda de acordo com o estudo, os sites de relacionamento como o Facebook e Orkut os mais acessados pelo público feminino de todas as faixas etárias. Estes sites são usados em sua maioria por pessoas com menor poder aquisitivo. Já os consoles conectados são usados preferencialmente pelos adolescentes de maior poder aquisitivo.

Apesar dos acessos partirem de todas as regiões brasileiras, há grande diferença na concentração de usuários espalhados pelo país. Enquanto a região Sudeste representa 55% de todos os acessos, a região Norte reúne apenas 5% das pessoas com acesso a internet.

Estes usuários preferem acessar a web no período da manhã (89%) e à noite (78%). Outros momentos do dia são os preferidos por 73% das pessoas. Já o jornal impresso é lido por 14% destes usuários e durante o período noturno as pessoas acessam mais a internet do que assistem a TV, de acordo com a pesquisa.

Os acessos partem de desktops (77%) e notebooks (59%). De acordo com Coelho, estes aparelhos ainda são os mais usados no Brasil. O smartphone é o mais usado por 40% das pessoas e ocupa o terceiro lugar da lista.

Já os tablets estão logo atrás com 16%, o iPad é o preferido de 15% dos entrevistados e os consoles de videogame é usado por 12% dos internautas. O iPod representa 10% dos acessos e outros dispositivos apenas 2%.

“As pessoas entre 25 e 34 anos usam os consoles de videogame, smartphones e tablets mais do que outros usuários de faixas etárias de maior idade. Isso demonstra que o brasileiro busca cada vez mais múltiplas plataformas, em média dois ou três canais”, diz Coelho. O executivo diz que as pessoas de mais idade usam, em média, apenas um canal, mas que estes internautas começam a usar mais de um dispositivo conectado.

Ainda de acordo com o estudo, cerca de 60% dos entrevistados navegam na internet e assistem a TV ao mesmo tempo. Este hábito é mais frequente entre as mulheres de todas as faixas etárias e apenas 6% de todos os usuários afirmam que prestam mais atenção na TV.

Com base nos dados fornecidos pelos entrevistados, a comScore avaliou que de todos os quesitos que envolvem a publicidade digital, como criatividade, confiabilidade e motivação, o único item que a internet não lidera é o da memorabilidade.

Ainda sobre consumo, 65% das pessoas preferem pesquisar as opiniões de outros clientes na internet antes de finalizar uma comprar em lojas físicas. Além disso, 37% dos donos de aparelhos portáteis conectados a web usam o dispositivo para buscar dados sobre o item que querem comprar.

De acordo com Coelho, hoje, o desafio da publicidade digital é orquestrar e aproveitar as oportunidades atuais do mercado brasileiro. “Desde 2009, os meios digitais representavam apenas 5% do bolo publicitário. Em 2012, este número deve chegar a 14%”, afirma.

Para os próximos anos, o presidente diz que o Programa Nacional de Banda Larga aquecerá o mercado publicitário porque poderá dobrar a quantidade de usuários com acesso à internet no Brasil. “Outro desafio é construir um mercado publicitário sadio, menos intrusivo e mais regional”, comenta. Esta foi a primeira edição da pesquisa e, de acordo com o executivo, será atualizada anualmente.

Fonte: Exame.com

Internet supera TV e jornal como mídia mais consumida no Brasil, diz estudo

Por Rebecca Porphírio
Da redação – TechTudo Notícias – G1

Um estudo inédito realizado pelo IAB Brasil revela que, para o brasileiro, a Internet já é o meio de comunicação mais importante. De acordo com a pesquisa, um em cada três brasileiros consome pelo menos duas horas de Internet por dia e navega em sites por pelo menos quatro aparelhos diferentes.

Pesquisa IAB Hábitos de Consumos de Mídia (Foto: IAB)

Comparada ao rádio, à TV e ao jornal, a Internet já é a mídia mais consumida, não só em casa, como no trabalho, na escola, em restaurantes, shoppings e reuniões presenciais. Dentre os quase 40% que surfam pelo menos duas horas por dia, somente 25% conseguem gastar o mesmo tempo com a TV. Essa, por sinal, é o meio menos usado entre jovens de 15 a 24 anos.

De maneira geral, mulheres consomem mais mídia do que homens

O público feminino passou o masculino no quesito preferência e consumo de atividades de mídia. 84% das internautas usa a Internet várias vezes ao dia e 65% assiste TV frequentemente enquanto navega na web.

Em casa, a Internet é a mais utilizadas das mídias em todos os períodos do dia: 69% acessam pela manhã, 78% também acessam à tarde e 73% conectam à noite. Apesar do cada vez maior acesso a smartphones e tablets, desktops (77%) e laptops (59%) ainda são as formas mais usadas para acessar a Internet.

O consumo de mídia em mais de um dispositivo é uma tendência. De acordo com a pesquisa, 66% da audiência online já acessa a Internet por mais de dois aparelhos diferentes e 25% dos adultos entre 25 e 34 anos acessa através de quatro ou mais dispositivos.

O uso do computador em paralelo com outras mídias também é maior. 61% usa um desktop ou laptop para acessar a Internet enquanto assiste à TV. Maioria de 65% são mulheres.

De acordo com a pesquisa, o público online no Brasil é aberto e receptivo à propaganda digital. 36% acha que anúncios na web incomodam menos e são mais sinceros que em outros canais. 44%, no entanto, acredita que anúncios de TV ainda são mais marcantes que em outras mídias.

O estudo apontou ainda que as redes sociais estão mais presentes nas classes sociais com menos poder aquisitivo e que um terço das pessoas prefere navegar mais do que qualquer outra atividade. Surpreendentemente, esse número inclui também adultos com mais de 55 anos.

Veja a pesquisa complesta da IAB Brasil clicando AQUI.

 

Internet rende negócios milionários a jovens empreendedores

Para abrir um negócio na internet é preciso estudar o mercado e investir – A internet tem rendido negócios milionários a jovens empreendedores. Muitos conseguem ganhar o primeiro milhão antes dos 30 anos.

Por Fabio Turci – São Paulo, SP

Os amigos, de vinte e poucos anos, viraram sócios. Com uma boa ideia na internet, atraem milhões de visitantes e ganham milhões de reais. “O nosso investimos inicial foi de R$ 70 mil. Para fazer publicidade, comprar dos primeiros produtos, e em seis meses recuperamos o investimento”, conta Carlos Barros.

Eles criaram uma página de leilões virtuais com outros cinco amigos. Para disputar as ofertas de smartphones, eletrodomésticos, TVs e até carros, os clientes pagam um real para cada lance que dão. Os jovens tiveram o cuidado de estudar bem o mercado.

Está cada vez mais fácil empreender usando a internet. No Brasil, ela já chegou a um terço das residências, segundo o IBGE.

A internet oferece possibilidades ilimitadas de fazer negócio, além de ser um espaço que costuma receber bem as boas ideias.

Antes de mais nada, é preciso estudar o mercado, como fizeram os amigos do site de leilões. Depois, criar uma página em que seja fácil navegar e com capacidade de processamento adequada ao número esperado de acessos.

É preciso investir em marketing digital, para que o site apareça bem nas redes sociais e nas ferramentas de busca. Também é necessário ter estrutura para atender bem os clientes e capital de giro, dinheiro para imprevistos e manutenções.

O ideal é monitorar sempre os resultados do investimento para corrigir os erros e criar novas estratégias.

A gerente de marketing digital Luciana Maryllac diz que os erros mais comuns de quem cria um negócio na internet são colocar o site no ar e esquecer a publicidade ou imitar uma ideia quando já tem um monte de gente ganhando dinheiro com ela. “Chega alguém e diz ‘tive uma grande ideia, vou lançar um site de compras coletivas’. Poxa vida, a gente já tem um monte de site de compras coletivas. O mais do mesmo cansa dentro da internet”.

Fonte: G1 – Jornal Hoje

Assista a matéria exibida no Jornal Hoje em 01/05/12, clicando AQUI.