5 dicas para entrar em mobile com o pé direito

Quer levar sua marca para smartphones e tablets? Saiba o que observar antes de mergulhar a fundo na mobilidade

Cris Simon, de Exame.com

São Paulo – O Brasil já tem 253 milhões de celulares, o que representa uma média de 1,29 linhas por habitante, de acordo com dados de 2012 da Anatel.

Além de mostrar que a classe C entrou em peso nas funcionalidades da plataforma mobile, esses números também demonstram um potecial de markerting em franca expansão.

Paul Gelb, vice-presidente e fundador da área de mobile da Razorfish, acredita que em até 10 anos, o marketing em smartphones e tablets será responsável pela maior fatia do bolo publicitário, ultrapassando até mesmo TV e internet.

Abaixo, veja 5 dicas de Gelb para quem quer começar as atividades na plataforma.

1 – Esteja bem acompanhado

Tenha certeza de que você tem um time capacitado e os talentos certos para trabalhar em projetos mobile internamente e em parceria com a agência.

“Mobile é uma coisa nova. O time que trabalhará nessa plataforma deve ter personalidade, expertises e conhecimento em diferentes áreas”, diz Paul Gelb.

2 – Observe a estrutura de sua empresa

Olhe para todos os lados de sua organização e tenha certeza de que você tem uma estrutura que comporta as novas atividades ou/e os recursos suficientes para modificar, adaptar e ampliar o que for preciso. Leve em conta todas as potenciais oportunidades.

“Mobile toca em muitas áreas diferentes do negócio. Se você é um varegista, pense em qual vai ser o objetivo do mobile dentro das lojas, no marketing e na administração do relacionamento com os consumidores, por exemplo”.

3 – Tenha foco nas pessoas, não na tecnologia

“É importante perceber que algumas coisas mudam e outras não. Algo que jamais deveria mudar é a maneira como você resolve um problema, e que deveria sempre começar com insights dos consumidores”, diz Paul Gelb.

“O que, de fato, os consumidores precisam? Que benefócio você estará levando a eles? Qual é o objetivo de seu negócio e o que você está realmente tentando comunicar?

Encontre um caminho pelo qual o mobile seja voltado unicamente a essas questões. A atividade da marca em mobile não deve começar por causa da tecnologia, mas com o uso da tecnologia, por causa das pessoas.

4 – Fato: você precisará de dinheiro

Não importa como você pensa em estruturar a empresa, você precisará de mais dinheiro e recursos, tanto para começar quanto para manter os negócios mobile em pé.

“Pense no que você fará inicialmente. Passe segurança para as pessoas da companhia de que os recursos que estão sendo alocados são importantes para levar a marca para o mobile”.

5 – Não espere a genialidade para começar

Você não precisa saber tudo e ter as soluções perfeitas para só então entrar em mobile. Tenha noção do espaço digital e pressa para começar. Pegue carona no que já está acontecendo.

“É um espaço que muda muito rapidamente. Você não terá tempo suficiente como teria em outros canais e circunstâncias”, aconselha Gelb.

Fonte: Exame.com

Anúncios

17 marcas que estão arrasando em publicidade móvel

Google criou cartilha para impulsionar atuação de empresas em tablet e smartphones. Veja algumas marcas citadas como modelo

São Paulo – O Google lançou recentemente uma cartilha sobre estratégias de marketing em plataformas móveis. Escrito por Jason Spero, chefe de marketing da AdMob – plataforma de publicidade móvel adquirida pela companhia em 2009 -, o manual chama-se “The Mobile Playbook: The Busy Executive’s Guide to Winning with Mobile” e explica o que marcas e anunciantes devem priorizar para criar campanhas efetivas em smartphones e tablets.

De acordo com Spero, um milhão de pequenas empresas entrarão no mercado de publicidade móvel em 2012 criando sites para celulares. E é do interesse do Google fazer com que elas entrem com o pé direito.

Em meio a gráficos e estudos de caso, a cartilha destaca cases de diversas empresas que foram bem-sucedidas em suas estratégias. Veja quais são algumas delas, e o que elas estão fazendo.

Starbucks

O aplicativo da Starbucks consegue fidelidade permitindo que mais de um milhão de frequentadores de suas cafeterias escaneiem códigos de barras, recarreguem os cartões de compras da rede e compartilhem suas localizações e opções de bebidas favoritas nas redes sociais. Tudo com acesso gratuito a internet por Wi-Fi, disponível em todas as lojas.

Em uma das ações mobile, a marca aproveitou o Valentine’s Day – nosso Dia dos Namorados – e criou o aplicativo Cup Magic, que por meio de realidade aumentada, decorou copos com corações animados.

Walmart

O app da rede permite adicionar itens à lista de compras usando comando de voz, teclado ou escaneando o código de barras, além de possibilitar a consulta de preços e da disponibilidade do produto na loja. Em alguns supermercados, pode-se até pesquisar a localização do corredor onde está o produto.

Coca-Cola

Simples, mas divertido. O aplicativo da marca permite que usuários simulem que estão bebendo uma Coca-Cola.

Delta Air Lines

A empresa aérea permite que clientes abram mão dos cartões de embarque, usando no lugar versões digitalizadas no momento do embarque, um recurso que agiliza o processo de embarque e evita que vôos saiam atrasados.

Os aplicativos oferecem opções de check-in eBoarding em 79 cidades, além de rastreamento de bagagens, alertas sobre viagens, condições de aeroportos e lembretes de estacionamento.

Kraft

A Kraft criou o iFood assistance, aplicativo para tablet que pais e filhos podem usar juntos durante o preparo das refeições, com vídeos, receitas e games.

Intuit

Os usuários do aplicativo SnapTax, criado pela empresa, podem gerenciar os impostos pagos via iPhone ou Android. Os passos são simples: fotografe o formulário, responsa algumas perguntas e arquive.

Wallgreens

A rede de farmácias americana criou um aplicativo que ajuda clientes a administrar o uso regular dos remédios, o “The Refil Ready”.

O app manda mensagens toda vez que os remédios receitados estiverem no fim. O serviço é gratuito e funciona em qualquer tipo de celular. Com isso, a marca conseguiu que 25% das recompras de medicamentos fossem feitas via celular.

Specialty’s Cafe & Bakery

Com site mobile-friendly, a companhia permite que usuários façam o pedido de qualquer lugar e possam buscá-lo na loja mais próxima. Chipotle, Subway e outras redes possuem serviços semelhantes.

Zipcar

A empresa de aluguel de carros criou um aplicativo que não apenas guia o cliente pelo processo de reserva, mas também localiza o carro no estacionamento acionando a buzina e a destrava das portas.

Chase

Um app do banco permite que clientes façam depósitos de cheques por meio de snapshot. Basta tirar uma foto da frente e do verso do cheque e enviá-la pelo aplicativo. Segundo o manual, a funcionalidade pode ajudar os bancos que quiserem manter menos caixas eletrônicos em funcionamento.

Priceline

Pelo Negotiator, a empresa ajuda consumidores a encontrar e reservar um quarto de hotel. Os números: 58% dos usuários do aplicativo reservaram um quarto dentro de 20 milhas de distância e 35% reservaram dentro de uma milha.

82% conseguiram reservar uma estadia menos de um dia antes do check-in, o que sugere que esses usuários já estavam em seus lugares de destino, e buscaram o aplicativo para tomar a decisão pela reserva em tempo real.

Ticketsnow

O site móvel da companhia conseguiu dobrar as vendas online da empresa, um “antes e depois” que acontece com frequência quando marcas tornam suas páginas amigáveis a celulares.

Volkswagen

A montadora incentiva suas concessionárias a aderir ao mobile fornecendo modelos que permitem criar sites móveis onde os clientes podem acessar o estoque, consultar opções de financiamento e entrar em contato diretamente com revendedores locais.

HP

A empresa preferiu a utilidade ao entretenimento em sua estratégia móvel. O aplicativo ePrint permite que os consumidores acionem a impressão de documentos a partir do smartphone, o que certamente ajuda a impulsionar a receita da empresa e as vendas de tinta.

Domino’s

Pode-se pedir “mais de 1,8 bilhões de combinações de pizza” e acompanhar passo a passo o progresso do pedido com o Domino’s Live Pizza Tracker.

Comcast

O aplicativo da companhia pode ser usado para consultar a disponibilidade dos serviços e obter assistência. A Comcast criou uma extensão de publicidade móvel que permite que usuários liguem diretamente dos resultados de busca, uma campanha que gerou uma taxa média de cliques 270% maior do que os anúncios de busca de desktop.

W Hotels

A rede de hoteis tenta fidelizar clientes oferecendo no aplicativo desde listas de música até pedido de serviço de quarto.

Fonte: Exame.abril.com.br

5 anos mudaram tudo

O documentário “O que mudou nos últimos 5 anos” foi realizado pela HOTWords e tem como tema as grandes transformações vividas pelo mercado da comunicação nos últimos 5 anos. Fazendo assim uma retrospectiva e uma análise dos principais acontecimentos dessa revolução tecnológica, a partir das entrevistas de personalidades envolvidas nesse mercado.

Patrocínio e idealização: HOTWords
Produção e direção: Estilingue Filmes